sábado, 11 de fevereiro de 2012

Famílias terrivelmente pós-modernas

Ainda não me recuperei do último filme que vi segunda-feira passada, sob o título de "Precisamos falar sobre o Kevin" da diretora Lynne Ramsay. Numa interpretação magistral de Tilda Swinton, a história de Eva Khatchadourian é um soco no estômago do espectador que ainda acha que é possível ser feliz em tempos contemporâneos. Há no filme uma espinhosa discussão sobre maternidade, ressentimentos, frustrações e até psicanálise. Não pude resistir e assim que saí da sessão comprei o romance homônimo de Lionel Shriver e estou perplexa diante das cem primeiras páginas. Não sei se a minha identificação pessoal com o tema me faz superestimar o texto, mas é realmente incrível como a autora mistura política norte-americana com subjetividades, memória, discussão estética e o mais polêmico: a negação da maternidade. Estou adorando e, claro, indico para todo mundo tanto o filme quanto o romance, muito embora sugira que só os mais fortes sobreviverão a tamanha porrada. Aos delicados demais, é melhor não chegar nem à foto de capa do romance (aí em cima), pois já parece aterradora.
Em todo caso, lembrando de outro filme que vi sábado passado, parece que o tema da desestrutura familiar e das incomunicabilidades do mundo pós-moderno anda visitando com frequência as telas de cinema. O também excelente "A Separação" do iraniano Asghar Farhadi impressiona pela complexidade das experiências que assolam e colocam em confronto duas famílias tão diferentes e com tanto em comum. E, no ano passado vimos também o estarrecedor "Biutiful" de Alejandro Iñarritu (que já está à venda na Livraria Cultura) neste mesma vertente. Enfim, os dramas familiares herdeiros de Laços de ternura parecem não ter ternura alguma, muito pelo contrário.

5 comentários:

talvez Mari, talvez não. disse...

Que bom que voltou Emilicas! Precisamos fazer análises botequísticas novamente! Fiquei com vontade de ler esse daí, e a tatuagem tá aqui, mais de Chico que de mim na poeticidade. Tô neologista hoje, e vê se volta de verdade, pq já tem tempo que coisas novas não são postadas!Ah, acho que o facebook anda precisando de gente igual vc pelo menos pra avisar quando o blog ta sendo atualizado! hihi BEEEEIJO de saudade!
ps: Pq cargas d'agua vc não foi no baile de formatura???????????

Bibica disse...

Depois de Donnie Darko tenho medo de pessoas vestidas com cabeças-não-fofinhas de animais.

Ah, que bom q voltou, voltimeia aparecia aki pra ver se tinha novidades e pelo que vejo agora há muiitas!^^

...Infinito Particular. disse...

Olá linda!
Sou o anderson ,o rapaz da festa na chacara numa fidalga cidade chamada Recanto das emas,se lembra?
Poxa,chapei pra kralho com este filme também...
Vi por todo o seu blog o rico material,postagens profundas,poxaa,da hora mesmo.
Estou seguindo desde já e escutando um som que até me lembrou de tu acredita?!!hahaha
Luiza,na voz de Chico!
Adorei vc e espero te-la mais vezes aqui em Brasólia para nos divertirmos.
Bjos e até a proxima!

Juliano Martinz disse...

Salve, salve...

Amei a sugestão. Não conhecia.

olharouver disse...

Adoro as suas dicas e vc é claro!!!Que bom que voltou com suas excelentes falas!!Adoro-te dona Émile!!!Bjos