quarta-feira, 6 de maio de 2009

"A Via Láctea", o amor e Carlos Drummond de Andrade

Assisti novamente ao belíssimo A Via Láctea de Lina Chamie. Tive vontade de ir à São Paulo. Tive muita vontade de chorar. Tive vontade de me apaixonar. Fui procurar o poema de Drummond que percorre toda a trajetória de Heitor, o personagem poeta da história. Chama-se "Campo de flores". Faz sentido. Deixo aqui o pôster do filme e a primeira estrofe de Drummond. Bela!
Deus me deu um amor no tempo de madureza,
quando os frutos ou não são colhidos ou sabem a verme.
Deus - ou foi talvez o Diabo - deu-me este amor maduro,
e a um e outro agradeço, pois que tenho um amor.

Um comentário:

Débora Oliveira disse...

Ta passando onde???

bjuuu