sexta-feira, 10 de abril de 2009

Me despedindo dos 20

Resolvi comemorar meu aniversário e fazer uma festa mesmo sem grana. Isso porque me toquei de que este é meu último ano na casa dos 20. É preciso comemorar. Não, comemorar não é bem a palavra, mas a vida é feita de rituais de passagem e já que eles são obrigatórios, que sejam vividos com prazer. Aí, é claro que automaticamente me veio à lembrança a música 20 anos blues que a Elis canta bem pra c... E eu? Bem, eu canto no chuveiro. E, sim, eu já uso cremes para prevenir rugas e estou escrevendo este post para constatar a inexorável passagemdo tempo. O relógio é um algoz que não perdoa. A única compensação nisso tudo é saber que ele, o relógio, não anda somente pra mim. A Elis disse numa entrevista que essa música se parecia muito com ela. Eu também acho que ela se parece comigo, por isso ela vai aqui; a composição é de Vitor Martins e Sueli Costa:

Ontem de manhã quando acordei

Olhei a vida e me espantei

Eu tenho mais de 20 anos

E eu tenho mais de mil perguntas sem respostas

Estou ligada num futuro blue

Os meus pais nas minhas costas

As raízes na marquise

Eu tenho mais de vinte muros

O sangue jorra pelos furos pelas veias de um jornal

Eu não te quero

Eu te quero mal

Essa calma que inventei, bem sei

Custou as contas que contei

Eu tenho mais de 20 anos

E eu quero as cores e os colírios

Meus delírios

Estou ligada num futuro blue

Os meus pais nas minhas costas

As raízes na marquise

Eu tenho mais de vinte muros

O sangue jorra pelos furos pelas veias de um jornal

Eu não te quero

Eu te quero mal

Ontem de manhã quando acordei

Olhei a vida e me espantei

Eu tenho mais de 20 anos

Um comentário:

Kovacs disse...

O problema todo é a continuidade deste processo. Se parássemos na despedida dos 20 seria ótimo, mas logo nos despedimos dos 30, 40 etc... De quaquer forma, parabéns e aproveite muito a década dos 30 que é realmente uma das melhores!