quarta-feira, 11 de março de 2009

Variedades.....

Hoje o post deve ser rápido porque eu sou obrigada a fazer várias coisas que ainda não fiz e o tempo (este carrasaco!) está indo, indo, indo...
1. Vi Santiago de João Moreira Salles. Quem sabe um dia eu ainda escreva sobre como a memória é a coisa mais bonita que o ser humano pode cultivar; além da arte, é claro. No filme de João, essas duas coisas sobram.
2. Estou atrás de coisas de e sobre Bukowski para inserir Otávio num estilo literário que é a cara dele: o marginal. Já está dando certo.
3. Fui ao show do Ney Matogrosso. Pela terceira vez me comovi com aquele desgramado, desta vez foi quando incendiou o público cantando "Pro dia nascer feliz". Como ele está sempre incrivelmente vivo no palco. Aquilo lá é ser artista no sentido pleno da palavra.
4. Assisti ao ótimo Foi apenas um sonho de Sam Mendes (o mesmo de Beleza americana). Novamente o cinema nos faz perceber com muita clareza a tragédia da vida conjugal e a frustação do mundinho homem-mulher-trabalho-casa-filhos-férias na praia. Um filme para minha prima Uline assistir. Ah, e eu não poderia esquecer: palmas para a excelente atriz Kate Winslet (foto)
Beijos e até a próxima!

4 comentários:

Helder disse...

O Ney foi maravilhoso
revigorante ver ele no palco.
E o Bucowski parece mesmo com o Otávio, com esse jeito meio 'junkie'

Professor Eleandro disse...

Emile,
seu blog está expetacular! (você lembra do X no lugar do S?).
Um grande beijo.

Otávio Lago disse...

O show do Ney foi ótimo mesmo!!

E o Bukowski... sem comentários!
Um estilo ácido, "junkie", como disse o Dedé...
E suas escatologias são (de vários) um dos aspectos mais... mais... interessantes (ia dizer deliciosas, mas abriria espaço pra interpretações nada razoáveis! hahahaha) de sua obra.

Valeu, Émile!

rafael.echoes disse...

Caracas!!

fazia tempo que eu não passava nesse bolgger, desculpa Émile!

Correrias à parte, vamos aos comentários...

O show foi contagiante! O primeiro de muitos, virei fã. O Ney é um cara que podemos chamar de ARTISTA sem esquecer nenhuma letrinha. A performace peculiar traz uma interpretação fina e aprimorada de todas as canções.
O envolvimento fica a cabo de cada um, haja vista que ele não é muito de interagir. Nada "olá, boa noite" e nem sequer "tchau". É uma estrela que só está ali para brilhar, brilhar e brilhar... Ah!Mas ele pode! rs

Sobre o filme...
"Foi apenas um sonho" me deixou assustado! Eu não sei bem o porquê, mas o "mundinho" que surge por consequência do envolvimento amoroso e principalmente do laço matrimonial, ainda me assusta.
A realidade natural da mediocridade que brota do convívio, me coloca distante de acreditar na felicidade ad eterna de qualquer união.
Kate Winslet realmente atuou muito bem em sua personagem!

Bjo!