quarta-feira, 4 de março de 2009

Sobre "Laranja Mecânica", para Débora (enfim!)

Já tem um tempo que a Débora me pede um post sobre Laranja mecânica de Stanley Kubrick. Hoje eu vou cumprir o prometido. Bem, eu adoro Kubrick, tenho quase tudo dele na minha dvdteca; inclusive esta ótima adaptação de um romance de Anthony Burgess publicado em 1962. Confesso que faltou interesse de minha parte em lê-lo, principlamente porque eu já ouvi - de gente com opiniões bastante sensatas - que esta é uma das poucas adaptações que são muuuuito superiores ao livro. Eu acredito, e vou lembrar o saudoso Paulo Francis com a máxima: "Não li e não gostei". Já o filme, um verdadeiro clássico. Da escolha do cenário kitsch à incrível atuação de Malcolm McDowel no papel do delinquente Alex DeLarge está tudo em perfeita combinação, como é comum nos filmes do bruxo Stanley (ele não parece um? olha nessa foto, ele com a câmera, que medo!) O roteiro muito bem adaptado reflete sobre violência e as várias formas de poder, e ainda sobre a (im)possibilidade de o ser humano regenerar-se ou transformar-se num autômato politicamente correto. Na verdade, o que eu mais gosto em Laranja mecânica é o visual, o cenário, o figurino, os objetos em cena. São muito criativos. Adoro, por exemplo, a roupa branca, a cartola, a bengala e o cílio postiço de Alex. Adoro a casa da mãe de Alex, com as paredes e o piso superbizarros. Adoro a escultura em forma de pinto gigante usado por Alex para bater na mulher cuja casa foi invadida. Nada disso você encontra em outros filmes por aí, porque isso se chama estilo, e alguns diretores tem, outros não. Enfim, estes são os meus elogios ao Laranja..., agora fica a cargo de Deborita dizer se gostou ou não e porque. Beijo!!!

3 comentários:

Débora Oliveira disse...

Emileeee...

Adorei o Post, não só pq foi postado com carinho pra mim,rs, mas sim pelo fato de comentar sobre muitas coisas interessantes no filme, como a casa da mãe do Alex e cílio postiço... simples porém inesquecíveis!

Esse filme é muito interessante, não é a toa que foi proibido em diversos países... O Mais chocante eu ainda não consegui distinguir, se é a Tamanha violencia de Alex para com as pessoas e o preconceito dele, ou se é do Estado ao tentar "manipular" a mente dele para o bem! Por esses motivos, o filme só foi liberado para exibição aqui no Brasil em 1978, e mais, foi em cópias onde foram incluídas “bolinhas pretas” sobre as genitálias dos corpos nus... rsrsrs...


Que coisa Não???


Realmente é um filme que me chocou muito, e confesso mais ainda, não sei se teria preparo para vê-lo novamente! rsrs

beijocas Emileeeeeee

=*

elvinho disse...

Laranja Mecânica foi pra mim o melhor filme q ja tinha visto por mto tempo, desde então se encontra entre os melhores ja visto... A sutileza da agressão, a trilha sonora que envolve o personagem são características que fascinam ... Kubrick me encantou desde o primeiro filme q eu vi, Spartacus com Kirk Douglas, pai de Michael Douglas; esplêndido... Acho q passaria horas falando de Kubrick, pois todos seus filmes se tornam clássico para o cinema após a sua reprodução, e o que se torna clássico deve ser mto bem ressaltado... Então eu gostaria de pedir pra Émile um post apenas de Stanley Kubrick! Afinal, Kubrick merece.

Mara disse...

Émile, esse filme me agrada muito também, mas as cenas de violência gratuita me chocam também, me sinto até mal! Acho q não é um filme adequado pra pessoas sensíveis como eu... rsrs
Ah, só uma curiosidade: na faculdade de psicologia é básico assistir a esse filme, pois ele traz um clássico exemplo prático da psicologia comportamental (quando os cientistas fazem as experiências de parear o estímulo da música clássica com as cenas de horror às quais o Alex é obrigado a assistir).
beijo, adorei o post!