sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Devaneios de uma histérica doutoranda

Embora eu tenha fumado alguns incontáveis cigarros nesta madrugada procurando coragem e determinação, ainda não me desfiz do medo da página em branco que se apresenta cada vez maior e mais intransponível quanto mais se esvai a areia de minha ampulheta. Escrever neste blog não anda aliviando essa angústia, e mesmo que eu o espante com a vassoura do esquecimento, do sono ou do recalque, não posso mais fugir desse fantasma que atormenta a minha consciência: o papel áureo e virgem à espera de ser violado por imperiosas considerações cujo expressivo resultado me lavará àquilo que se chama TESE. Nossa, que glorioso!Putaquepariu (não vou me desculpar pelo palavrão, tô precisando dele nesta hora), o quê que eu faço???? Será que em alguma outra situação da minha curta vida eu já senti tanto medo como agora? Será que em alguma outra circunstância eu me senti tão insegura quanto ao meu próprio potencial? Tento me lembrar, mas é inútil, assim como ficar escrevendo isso aqui também não vai dar em nada. Afinal, que espécie de auto-comiseração é essa? Sua consternação consigo mesma é patética. Medinho, angustiazinha, tormentozinho... Ai, como você sofre, Émile! Que peninha de você... tão derrotada. Simplemente ridículo! Chega. Este post acaba por aqui, aliás, se eu tivesse o mínimo de juízo, ele deveria ser deletado, se sair é porque eu não presto mesmo.

7 comentários:

Marlene disse...

"Embora eu tenha fumado alguns incontáveis cigarros nesta madrugada procurando coragem e determinação, ainda não me desfiz do medo da página em branco que se apresenta cada vez maior e mais intransponível quanto mais se esvai a areia de minha ampulheta."

lindo ..identifiquei-me imediatamente! :)

Luciane Lira disse...

...é tão trágico, que não consegui segurar o riso, perdão.
Eita angústias!!!!!
Mas o texto ficou tão lindo, boba, cola ele na introdução da tese ou como epígrafe. :)

Emile disse...

Hahaha!!! É bem isso, Luciane,não sei se eu rio ou se eu choro... beijo

Fábio disse...

hahahahahaha
nao sei se essa foi a intenção mas... achei muito engraçado! hahahaa

Bibi disse...

Por favor, Émile... Por favor! "Medinho" não!

kkkkkkkkk.

Emília disse...

Pimenta nos olhos dos outros é refresco.
Por isso o pessoa achou tão engraçado, Émile...
Quando te ligarem desesperados pedindo ajuda pra terminar o TCC (ou seja lá o q for), faça como eu já vi vc fazendo: não atenda o celular. Isso vai ser muito engraçado...

Helder disse...

concordo com a Emília,a última reação que tive foi achar graça.
Achei muito corajoso escrever tudo isso dessa maneira tão sincera, principalmente o final