terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

De como Saramago me fez voltar a acreditar na humanidade

Acabei de ler isso, está no blog do Saramago. Voltei de verdade a acreditar na humanidade, mas acho que acredito mais ainda na literatura. Chorei. Como José Saramago, as lágrimas me descem com certa facilidade. Senti também uma inveja bonita, dessas que se parecem mais com orgulho pelo feito realizado pelo outro. Eu tenho a esperança de que, um dia, um personagem meu seja tão incrível assim...

Sigifredo
By José Saramago

Sigifredo López é o nome de um deputado colombiano sequestrado durante sete anos pelas FARC e que acaba de recuperar a liberdade graças à coragem e à persistência, entre outros, da senadora Piedad Córdoba, principal dirigente do movimento social e humanitário “Colombianos pela paz”. Graças a uma circunstância que parecia impossível dar-se, Sigifredo López, que fazia parte de um grupo de onze deputados sequestrados, dez dos quais foram, não há muito tempo, assassinados pela organização terrorista, pôde escapar ao massacre. Agora está livre. Na conferência de imprensa logo realizada em Bogotá, entendeu manifestar a sua gratidão a Piedad Córdoba em termos que comoveram o mundo. Aqui nos chegaram essas palavras e essas imagens estremecedoras. Nunca pude alardear de firmeza emocional. Choro com facilidade, e não por causa da idade. Mas desta vez fui obrigado a romper em soluços quando Sigifredo, para expressar a sua infinita gratidão a Piedad Córdoba, a comparou à mulher do médico do Ensaio sobre a cegueira. Ponham-se no meu lugar, milhares de quilómetros me separavam daquelas imagens e daquelas palavras e o pobre de mim, desfeito em lágrimas, não teve outro remédio que refugiar-se no ombro de Pilar e deixá-las correr. Toda a minha existência de homem e de escritor ficou justificada por aquele momento. Obrigado, Sigifredo.

3 comentários:

Amiga da Amèlie disse...

A literatura rompendo barreiras!!!
:)

rafael.echoes disse...

Fez valer o ditado: A gente colhe aquilo que a gente planta. E Saramago, exímio escritor, planta planta mais que palavras.
A referência no tocante da realidade, sem dúvidas deve ser motivo de orgulho para ele.

Literatura etc. disse...

É fantástico ver como a literatura chega longe, rompe barreiras e alcança o universal.

Para mim, José Saramago enquanto homem e escritor já estava justificado há muito tempo, quando mostrou compreender as misérias e as belezas humanas.

Parabéns pelo blog! Está mesmo muito bom!

Abraço!

Angelis